Como internar menor de idade em uma clínica de recuperação?

Drogas, sejam elas lícitas ou ilícitas, sempre têm os mais jovens como seus alvos favoritos. E por esse motivo, a dependência química e o alcoolismo também possuem entre suas vítimas uma grande parcela de jovens, inclusive menores de idade. Famílias que se encontram nessa realidade se perguntam como internar menor de idade em uma clínica de recuperação. E é justamente o que iremos responder neste artigo. Nos acompanhe!

Antes de irmos direto ao ponto e responder à pergunta, precisamos deixar algumas informações bem claras.

Muitos pais não sabem exatamente o que é alcoolismo ou dependência química. Pois bem, vamos explicar aqui, brevemente o que cada uma delas significa.

Falando do alcoolismo, obviamente que ninguém se torna um alcoólatra de um dia para o outro. Inclusive, este termo “alcoólatra” não é o mais correto para definir um dependente do álcool, apesar de ser bem popular.

O mais correto seria usar o termo “dependente alcoólico”, “alcoolista”, ou simplesmente “alcoólico”. Assim como acontece no A.A. (Alcoólicos Anônimos).

Um alcoolista não é aquele que simplesmente consome bebidas alcoólicas, mesmo que em grande quantidade. A grande questão está na palavra “dependência”. Ou seja, uma pessoa que se tornou dependente da substância, neste caso, do álcool, essa, sim, pode ser considerada alcoolista.

Lembrando que bebidas alcoólicas são proibidas para menores de idade. Mas sabemos também que a adolescência é uma fase que, em geral, queremos descobrir coisas novas. E quanto mais restrições tais coisas possuem, mais elas são interessantes.

É o que ocorre com álcool e drogas. Essas substâncias são muito atraentes para os jovens, principalmente se estão em grupos e os integrantes do grupo fazem uso de alguma ou de ambas as substâncias.

 

Como identificar se seu filho se tornou um dependente químico/alcoólico?

Como identificar se seu filho se tornou um dependente químico

Você, pai ou mãe, sabe que nem sempre é fácil fazer com que seu filho ou filha adolescente te obedeça. Principalmente se quiser sair para uma festa ou passeio com os amigos e você não autoriza.

O problema é que essa rebeldia pode ultrapassar os limites, seu filho começar a consumir álcool ou drogas ilícitas e se tornar dependente.

Uma coisa é certa. Na grande maioria das vezes, por mais que seus filhos confiem em você, jamais irão dizer que experimentaram drogas, ou até mesmo álcool.

Mas então, como descobrir se estão consumindo drogas ou álcool e se tornaram dependentes?

A chave está em observar o comportamento deles. Isso é algo que sempre muda, falando de um dependente químico ou alcoólico.

Observe se seu filho(a) mudou seu comportamento. É comum que fiquem mais irritados ou até mesmo agressivos. Mas também pode acontecer de ficarem mais isolados, indiferentes e apáticos com as questões do dia a dia e com o relacionamento familiar.

Procure também observar o desempenho de seu filho na escola. Se suas notas pioraram, se a frequência nas aulas foi afetada.

Com o passar do tempo, muitos não tem como sustentar o vício e o dependente químico começa a realizar pequenos furtos em casa para vender ou começa a comercializar seus objetos pessoais com o objetivo de ter recursos para comprar drogas.

Essas e outras características podem indicar que seu filho se tornou um dependente químico. Mas nada melhor do que o diálogo. Sabemos que não é fácil e que ele ou ela provavelmente irão negar numa primeira conversa.

Porém, antes de internar o menor de idade em uma clínica de recuperação, você precisa ter certeza que ele é um dependente.

Por que internar um menor de idade em uma clínica de recuperação?

Por que internar um menor de idade em uma clínica de recuperação

Sabemos que, internar um menor de idade em uma clínica de recuperação pode ser uma decisão muito difícil de se tomar. Principalmente pelo distanciamento familiar, do jovem não estar ali no lar da família como antes.

Outro fator que torna essa decisão difícil, é de não saber exatamente como funciona uma clínica de recuperação. O medo e a dúvida acabam por adiar ou até mesmo evitam que os pais procurem por ajuda profissional, agravando ainda mais a situação.

Há casos em que o dependente químico não necessita ficar internado na clínica de reabilitação. Mas isso só é possível se a busca por ajuda ocorrer logo no início do problema.

E, infelizmente o que acontece é o contrário. O dependente procura ajuda apenas quando a doença está numa fase bem avançada. Ou então quando alguém percebe e pede ajuda por ele, pois é comum a negação, pensar que não há problema algum e que pode parar quando quiser.

Em alguns casos, o nível da dependência é tão grave que internar um menor de idade em uma clínica de recuperação é inevitável. Literalmente uma questão de vida ou morte. É nesse momento que os pais e familiares precisam agir o mais rápido possível e buscar ajuda na clínica de recuperação.

Saiba como funciona uma clínica de reabilitação para menores de idade

Saiba como funciona uma clínica de reabilitação para menores de idade

Geralmente os menores de idade atendidos nas clínicas de reabilitação acabam passando por tratamento da dependência química e/ou alcoolismo, justamente durante o tempo em que foi determinado.

E esse tempo é definido pela equipe médica e psicológica, após uma série de exames e entrevistas com o jovem.

Para ficar mais claro, é importante saber antes de internar um menor de idade em uma clínica de recuperação que existem algumas fases a serem exploradas durante o tratamento. Entre elas, podemos destacar as seguintes:

Fase da desintoxicação

Essa é a etapa em que o jovem acaba passando por exames laboratoriais para saber como está sua saúde física. Durante esse período, o paciente deverá ser assistido de perto por médicos e pela própria equipe de enfermagem.

Caso seja necessário, esses menores passam por tratamentos medicamentosos, para ajudar a amenizar os efeitos da abstinência física e psicológica, acelerando o processo de desintoxicação.

Fase da conscientização

Essa etapa é importante justamente porque o paciente acaba restaurando alguns dos valores que foram afetados pela dependência química/alcoolismo. Apenas assim o jovem conseguirá, com o apoio da equipe, desenvolver habilidades necessárias e, utilizar ferramentas para uma nova maneira de viver.

Etapa da reinserção social

Nessa última fase o paciente deverá trabalhar com todas as dificuldades de ressocialização apresentadas durante todo esse processo do tratamento. A conscientização do retorno dessa pessoa à sociedade deverá ser exercitada com toda a equipe, para enfrentar dificuldades.

Agora que você sabe como internar um menor de idade em uma clínica de recuperação e que se trata de um procedimento profissional e que visa apenas ajudar, se você tem um filho ou filha que é dependente químico ou alcoólico, entre em contato conosco. Nós estamos prontos para ajudar sua família!